Você está visualizando atualmente COMO MANTER A ÉTICA NAS REDES SOCIAIS E DIVULGAR SEUS SERVIÇOS?

COMO MANTER A ÉTICA NAS REDES SOCIAIS E DIVULGAR SEUS SERVIÇOS?

As mídias sociais revolucionaram o mundo em que vivemos hoje, tanto na esfera pessoal quanto na profissional. Muitos advogados e escritórios de advocacia usam as utilizam para fins comerciais, como serviços de publicidade para atrair novos clientes, networking com outros profissionais do direito, compartilhar notícias jurídicas e se comunicar com clientes, mas é preciso manter a ética nas redes sociais.

Embora as mídias sociais sejam uma ferramenta de negócios aceitável, os advogados devem considerar seus deveres éticos antes de usar as mídias sociais em contextos pessoais e profissionais.

Abaixo estão algumas coisas importantes que os advogados devem levar em consideração para ter ética nas redes sociais…

1. CUIDADO AO COMPARTILHAR CERTOS CONTEÚDOS

As mídias sociais têm o potencial de alcançar indivíduos em várias jurisdições. Os advogados devem ter cuidado ao compartilhar conteúdo em jurisdições onde não estão licenciados para exercer a advocacia.

A OAB proíbe os advogados de compartilhar informações que façam o público acreditar que são admitidos ao exercício da advocacia em uma jurisdição onde não estão licenciados.

As melhores dicas incluem abster-se de oferecer aconselhamento jurídico em plataformas públicas, incluindo isenções de responsabilidade afirmando que uma postagem não se destina a formar uma relação advogado-cliente ou fornecer aconselhamento jurídico, fornecendo transparência sobre o licenciamento.

2. NÃO INCOMODE UM CLIENTE EM POTENCIAL COM VÁRIAS MENSAGENS OFERECENDO SEUS SERVIÇOS

A publicidade de serviços jurídicos nas mídias sociais é uma área cinzenta. Quando um advogado sabe que alguém precisa de serviços jurídicos e tenta solicitar seus negócios, a ética geralmente proíbe que o advogado ofereça seus serviços constantemente de pessoa para pessoa.

De acordo com a regra, isso não inclui conteúdo claramente voltado para o público em geral, salas de bate-papo, mensagens de texto ou outras comunicações escritas que as pessoas possam facilmente ignorar.

Definir que tipo de conteúdo as pessoas podem facilmente ignorar é onde está o problema. No entanto, se o usuário de mídia social puder ignorar, bloquear ou excluir o conteúdo, a regra provavelmente não se aplicará. Por outro lado, uma situação em que o advogado envia mensagens diretas repetidas certamente implicaria essa regra.

3. MANTENHA SEMPRE A DISCRIÇÃO

Para manter os dados confidenciais, os advogados devem realizar a comunicação com ética nas redes sociais, ou seja, com os clientes por meio de mensagens privadas, abster-se de postar dados confidenciais sobre um cliente ou caso em plataformas públicas e realizar apenas comunicação e atividade de casos em redes privadas ou seguras.

SAIBA MAIS

As mídias sociais estão se tornando mais prevalentes na comunidade jurídica porque fornecem uma maneira interativa de se conectar com clientes, outros profissionais do direito e o público. No entanto, os advogados devem considerar possíveis violações éticas antes de postar ou responder ao conteúdo de mídia social.

4. PARA MANTER A ÉTICA NAS REDES SOCIAIS, CUIDADO COM O TEOR DAS FOTOS PUBLICADAS

Quando você é membro de uma ordem profissional, você é membro 24 horas por dia! Ou seja, um profissional nunca pode ignorar seu status… mesmo de férias. Portanto, não colocaremos fotos de nós mesmos de biquíni em uma praia, mesmo em uma página pessoal, para não manchar a imagem da profissão ou de si mesmo como profissional. Então você realmente tem que pensar sobre isso antes de usar as redes sociais.

Da mesma forma, muitas vezes é esquecido que qualquer troca através da Internet, mesmo privada, pode se tornar pública. . Se lêssemos as políticas do Facebook, veríamos que é mencionado que qualquer pessoa — mesmo alguém que não esteja registrado na rede — pode ter acesso às nossas trocas. Isso deve soar um pequeno alerta sobre as informações trocadas na plataforma.

5. MANTENHA A ÉTICA NAS REDES SOCIAIS LENDO SEMPRE SEU CÓDIGO DE ÉTICA

Como as tecnologias de comunicação estão progredindo muito mais rápido do que todas as leis e regulamentos que poderiam ser imaginados, todo profissional deve pensar por si mesmo. No entanto, ele não deve confiar em seu próprio “senso comum” e procurar improvisar o que ele acha que permitiria ou não a ética nas redes sociais.

É muito importante ler seu código de ética, já que este código contém os valores que sua profissão se propôs. Além disso, todo profissional deve ser treinado para aprender a decodificar os valores de seu código de ética e aplicá-los ao uso de novas tecnologias.

Ler o código de ética permite que a pessoa que o aplica aja consciente e corretamente. 

Empregar as práticas acima ajudará os advogados a cumprir suas obrigações éticas de mídia social. Os advogados também precisam saber sobre quaisquer desvios das regras da OAB para cada jurisdição em que estão licenciados para exercer a advocacia.

Como o mundo digital está em constante evolução, os advogados devem se manter informados sobre obrigações novas ou aprimoradas à medida que a tecnologia avança.

Não fazer isso pode resultar em sanções judiciais, suspensão de licença ou um resultado de litígio desfavorável.

Deixe um comentário

Quer falar com um de nossos consultores agora mesmo pelo WhatsApp?

🟢 Estamos Online

RECEBA UMA análise gratuita do marketing da sua empresa